Obesidade infantil, um dos maiores desafios para a saúde pública no século 21.

Bebês não mamam só para matar a fome
2 de fevereiro de 2017
Bolo de fraldas: uma ideia fofa e econômica para o chá de bebê
17 de março de 2017

Obesidade infantil, um dos maiores desafios para a saúde pública no século 21.

O excesso de peso e a obesidade em crianças estão aumentando cada vez mais. A obesidade infantil é um dos maiores desafios para a saúde pública no século 21. É um problema global que afeta muitos países de renda baixa e média, especialmente em áreas urbanas. Segundo uma pesquisa feita pelo IBGE entre 2008 e 2009 com 188 461 pessoas, o sobrepeso atinge mais de 30% das crianças entre 5 e 9 anos de idade no Brasil.

A prevalência tem aumentado a um ritmo alarmante. Estima-se que em 2010 o mundo tinha mais de 42 milhões de crianças com excesso de peso. As crianças com sobrepeso ou obesidade correm o risco de provavelmente permanecerem obesas quando adultas e são mais suscetíveis a doenças não transmissíveis, como diabetes e doenças cardiovasculares em idade mais precoce.

O excesso de peso, a obesidade infantil e as doenças associadas a eles, são em grande parte evitáveis. Para que isso seja possível, o método mais importante é a prevenção.

Na maioria dos casos das doenças não transmissíveis causadas pela obesidade infantil, os riscos dependem da faixa etária de idade em que ocorreu a obesidade e a sua duração. As crianças e adolescentes obesos sofrem ambas as consequências para a saúde e de longo prazo a curto prazo.

As consequências mais graves do excesso de peso e obesidade em crianças, que muitas vezes não se manifestam até a idade adulta incluem:

– Doenças cardiovasculares (doença cardíaca e acidente vascular cerebral, principalmente);

– Diabetes;

– Distúrbios nos músculos esqueléticos, especialmente a osteoartrite;

– Alguns tipos de câncer (endométrio, mama e cólon).

A importância das atividades físicas na luta contra a obesidade infantil

Crianças e adolescentes passam em média 3 horas por dia na frente de computadores, televisões e videogames. Na maior parte do tempo, eles aproveitam este momento para abrir um pacote de bolachas recheadas e salgadinhos, sem contar os refrigerantes, alimentos ricos em gorduras e açúcares e pobres em nutrientes. Nestes momentos, as crianças consomem 20% a mais de alimentos do que eles deveriam.

Como atividade física, não devemos apenas considerar práticas esportivas, muito pelo contrário. O corpo de uma criança está em crescimento constante, portanto toda a prática esportiva deve ser indicada por um médico ou profissional do esporte. O que indicamos neste artigo são simples dicas de atividades físicas, mas fundamentais, que podem ser feitas diariamente e contribuem na luta contra a obesidade.

– Procure fazer com que o seu filho caminhe o máximo possível. Parece besteira, mas a simples atividade de caminhar diariamente num ritmo mais acelerado faz com as crianças queimem algumas boas calorias.

– Troque o elevador pelas escadas. Crianças têm energia de sobra e esta energia deve ser usada! Procure não adotar hábitos sedentários na frente dos seus filhos, os pais devem dar o bom exemplo.

– Valorize as atividades ao ar livre: jogos com bola, bicicleta, roller, skate, esconde-esconde, pula-corda ou até mesmo a jardinagem. Muitos pais acreditam que seus filhos não se interessam mais por simples brincadeiras como, por exemplo, o velho esconde-esconde, quando na verdade as crianças estão apenas tomadas por essa onde de novas tecnologias que quando utilizadas em excesso podem mudar (de maneira negativa) a infância de uma criança.

– A idade de 7 anos é a idade aconselhável para que as crianças comecem a praticar algum esporte, antes dessa idade a opinião dos especialistas varia entre a aprovação e a desaprovação. Na hora de escolher o esporte para o seu filho, não procure defini-lo unicamente conforme os seus gostos pessoais, converse com o seu filho e veja quais são os seus interesses. O mais importante é o estimulo dado para a prática de alguma atividade física que poderá ser levada adiante. Você deve estimular a criança a experimentar várias modalidades, deixando que ela encontre aquela prática que mais gosta. Nesta faixa etária de idade as crianças têm um leque de alternativas (danças, natação, capoeira, futebol, vôlei, judô, tênis, handebol, basquete, entra outras) mas nada de esforço físico exagerado.

Fonte: Redação Doutíssima / terra.com.br

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *